QUESTÕES

52
Paisagismo > Projeto Paisagístico
  • Banca: CESPE
  • Órgão: BASA
  • Cargo: Técnico Científico Arquitetura
  • Ano: 2012
  • Nº: 87



Considerando as figuras acima, julgue o item a seguir.


O terraço-jardim projetado para o edifício Gustavo Capanema é considerado um marco do paisagismo brasileiro. Definido por formas racionais e modernistas, o jardim possui uma configuração inédita no país e no mundo. Nesse projeto, Burle Marx trabalhou com uma linguagem modulada, identificada com as vanguardas artísticas da época, como a arte abstrata, o concretismo e o construtivismo. As plantas baixas de seus projetos lembram, muitas vezes, telas abstratas, como se pode verificar no projeto de jardim da figura 1.

  • Banca: CESPE
  • Órgão: BASA
  • Cargo: Técnico Científico Arquitetura
  • Ano: 2012
  • Nº: 86

Do mesmo modo que os edifícios são caracterizados por paredes, pisos e tetos, nos projetos de paisagismo, os espaços livres também são caracterizados morfologicamente pelos planos horizontais e verticais, por “paredes, pisos e tetos”. Relativamente à arquitetura de paisagismo, julgue o item seguinte.


Quando se trata de espaços livres, os planos “paredes e tetos” são formados por elementos naturais, tais como as encostas dos morros, os arvoredos, os arbustos. Os planos horizontais, “pisos”, são constituídos por diferentes tipos de pavimentos, incluindo gramas, e até por superfícies de água e céu, formando horizontes. 

  • Banca: CESPE
  • Órgão: TJ-AL
  • Cargo: Analista Judiciário Arquitetura
  • Ano: 2012
  • Nº: 61

PROVA DISCURSIVA

• Na prova a seguir, faça o que se pede, usando, caso deseje, o espaço para rascunho indicado no presente caderno. Em seguida, transcreva o texto para a FOLHA DE TEXTO DEFINITIVO DA PROVA DISCURSIVA, no local apropriado, pois não serão
avaliados fragmentos de texto escritos em locais indevidos.
• Qualquer fragmento de texto que ultrapassar a extensão máxima de linhas disponibilizadas será desconsiderado.
• Na folha de texto definitivo, identifique-se apenas no cabeçalho da primeira página, pois não será avaliado texto que tenha qualquer assinatura ou marca identificadora fora do local apropriado.
• Ao domínio do conteúdo serão atribuídos até dez pontos, dos quais até um ponto será atribuído ao quesito apresentação e estrutura textual (legibilidade, respeito às margens e indicação de parágrafos).



    A nova sede do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT/BA) é um complexo constituído por oito edificações. Os prédios serão implantados em terreno densamente arborizado, cuja topografia, em forma de vale, apresenta desnível, em torno de 30 metros, em relação à cota da via circundante. Desse modo, as características marcantes do terreno motivaram a adoção de um partido arquitetônico que se define pela mínima intervenção no lote.
    O projeto, de autoria do arquiteto João Filgueiras Lima, Lelé, composto por edifícios com até oito pavimentos, é formado por quatro edificações abaixo e quatro acima da cota pública envoltória, o que possibilitou que caminhos suspensos fossem criados para interligar as construções. Atente-se para o fato que os prédios do TRT/BA foram planejados em estrutura metálica, cujos apoios estarão restritos aos núcleos de circulação vertical, com a finalidade de minimizar as movimentações de terra.



Considerando o texto acima, que apresenta descrição resumida do projeto arquitetônico do TRT/BA, e tendo por base, ainda, as figuras de I a V, em que estão evidenciados os princípios que norteiam o sistema construtivo em pré-moldados de aço, elabore um texto dissertativo que analise o projeto arquitetônico apresentado. Em seu texto aborde, necessariamente, os seguintes aspectos:

  • descrição do sistema construtivo da racionalização e da modulação; [valor: 3,00 pontos]
  • níveis de acesso e de circulação, implantação em terreno acidentado e movimentação de terra; [valor: 3,00 pontos]
  • uma proposta de paisagismo possível. [valor: 3,00 pontos]

(trinta linhas) 

  • Banca: CESPE
  • Órgão: TRT-10
  • Cargo: Analista Judiciário Arquitetura
  • Ano: 2012
  • Nº: 121

PROVA DISCURSIVA

  • Nesta prova, faça o que se pede, usando, caso deseje, o espaço para rascunho indicado no presente caderno. Em seguida, transcreva o texto para a FOLHA DE TEXTO DEFINITIVO DA PROVA DISCURSIVA, no local apropriado, pois não serão avaliados fragmentos de texto escritos em locais indevidos.
  • Qualquer fragmento de texto que ultrapassar a extensão máxima de linhas disponibilizadas será desconsiderado.
  • Na folha de texto definitivo, identifique-se apenas na primeira página, pois não será avaliado texto que tenha qualquer assinatura ou marca identificadora fora do local apropriado.
  • Ao domínio do conteúdo serão atribuídos até 10,00 pontos, dos quais até 0,50 ponto será atribuído ao quesito apresentação e estrutura textual (legibilidade, respeito às margens e indicação de parágrafos).

Burle Marx levou para o paisagismo o ideário da arte e arquitetura modernas ao rejeitar as flores exóticas com que o país compunha seus jardins públicos e particulares e trazer para as praças a, antes desprezada, vegetação nativa. Ele compôs jardins e praças como quem cria obras de arte, pensando na topografia, no meio ambiente, na arquitetura e na plasticidade. O paisagista que fazia arte moderna com matéria-prima viva — além de ser ceramista, gravurista, tapeceiro, designer de joias, pintor, músico — deixou em Brasília as marcas de sua genialidade: alguns dos melhores exemplos de preservação e manutenção são a Praça dos Cristais e os jardins internos e externos do Palácio do Itamaraty. "As estruturas estão preservadas e apenas há uma ou outra espécie que foi trocada, mas é possível recuperar as originais", avalia o paisagista Haruyosho Ono, 63 anos, que cuida da preservação da obra do artista. A Praça dos Cristais foi restaurada pelo Quartel-General do Exército. 

Internet:<www.correiobraziliense.com.br> (com adaptações).

A Praça dos Cristais — uma praça cívica de Burle Marx e Haruyosho Ono, localizada nas imediações do Quartel-General do Exército, de autoria de Oscar Niemeyer — é assim denominada porque durante sua construção, iniciada em 1965, Burle Max e seu assistente, o arquiteto e paisagista Haruyosho Ono, realizaram uma viagem para a cidade de Cristalina, onde encontraram muitos cristais de rocha. Na oportunidade, Roberto Burle Marx solicitou a Haruyosho que desenhasse as peças para o espelho d'água principal, representando assim as riquezas existentes no Planalto Central.

Internet:<www.pmb.eb.mil.br> (com adaptações).





Considerando os textos apresentados, que têm caráter unicamente motivador, bem como as figuras que a eles se seguem, redija um texto dissertativo sobre a Praça dos Cristais em Brasília, abordando, necessariamente, os seguintes aspectos:

  • valorização das riquezas naturais e espécies vegetais nativas das regiões pela arquitetura; [valor: 3,50 pontos]
  • importância de Burle Marx como paisagista e artista; [valor: 3,00 pontos]
  • integração da arquitetura moderna com as artes na obra de Oscar Niemeyer. [valor: 3,00 pontos]

(trinta linhas) 

  • Banca: CESPE
  • Órgão: TJ-CE
  • Cargo: Analista Judiciário Arquitetura
  • Ano: 2014
  • Nº: 54

Assinale a opção correta com base nas figuras apresentadas acima, referentes a projetos de paisagismo.

A) A figura 3 mostra o corte em um jardim, sem cota, mas com escala humana, no qual consta um riacho acessado por uma pequena escada e em cuja parte superior se observa uma rampa de inclinação acentuada.

B) Depreende-se das seções A e C da figura 4 que o relevo do terreno está mais acidentado nas extremidades do lado direito da planta e que, no meio, esse terreno apresenta um ligeiro aclive em direção ao lado esquerdo da planta, onde a vegetação é mais densa.

C) A representação do paisagismo com desenho técnico preciso é inadequada, pois diferentemente do que ocorre na arquitetura e no design, que lidam com objetos definidos, no paisagismo são representadas formas da natureza imprecisas.

D) Utilizando-se o desenho em perspectiva, como o ilustrado na figura 1, garante-se maior precisão nas informações do projeto.

E) A árvore maior, à direita, na figura 2, que ilustra uma perspectiva de um conjunto de árvores e arbustos, tem a altura inferior a 5,0 m.