QUESTÕES

16
Teoria e História da Arquitetura > Comunicação Visual
  • Banca: CESPE
  • Órgão: CEF
  • Cargo: Arquiteto
  • Ano: 2010
  • Nº: 46

(QUESTÃO ANULADA) Com relação à teoria da Gestalt, assinale a opção correta.
 

A) Segundo a teoria da Gestalt, o conhecimento do todo ocorre por meio da percepção de suas partes.

B) A teoria da Gestalt, que explica o fenômeno da percepção por meio da decomposição e recomposição das partes em relação ao todo, criada para explicar a percepção das obras de arte, não se aplica à comunicação visual ou ao design do objeto, concebidos segundo critérios que extrapolam o valor artístico.

C) Muitos artistas, como Escher e Dalí, utilizaram ilusões de ótica explicadas pela lei gestáltica da pregnância. A ilusão de perspectiva e a proposição cubista de uma cena são explicadas pela teoria da Gestalt.

D) A natureza pode ser percebida a partir da esfera, do cilindro e do cone. Essa frase de Paul Cézanne coincide com uma das leis da Gestalt.

E) Segundo a teoria da Gestalt, a análise sintática de uma imagem só pode ser feita a partir da semiótica, ou seja, da ligação e do significado das partes que a compõem.

  • Banca: CESPE
  • Órgão: CEF
  • Cargo: Arquiteto
  • Ano: 2010
  • Nº: 47

O signo é composto por sua forma física e por um conceito mental, que corresponde a uma apreensão da realidade externa. Como meios de comunicação visual, os signos visuais podem assumir categorias diferentes de acordo com o seu significado. A respeito das categorias dos signos, assinale a opção correta.
 

A) No campo da arte pictórica, o ícone identifica uma representação sacra pintada sobre um painel de madeira. Para a semiologia, é um símbolo gráfico usado para representar um software.

B) O pictograma representa um objeto ou transmite uma ideia por meio de ilustrações ou desenhos. Os pictogramas foram a base da escrita do mundo antigo, mas, com o desenvolvimento da comunicação visual, perderam seu significado.

C) Um sinal transmite uma informação percebida por todos da mesma maneira. É constituído a partir de um desenho figurativo, de apreensão rápida, que serve para informar ou identificar locais e serviços.

D) O símbolo representa um modelo imitativo de um objeto, uma forma, um espaço ou determinada situação, pressupondo, portanto, uma relação direta entre o real e a imagem representada. Os símbolos são compreendidos somente dentro de determinado grupo ou contexto religioso, cultural etc.

E) O indício tem origem em formas ou situações naturais ou casuais e adquire significado por meio do acúmulo de experiências advindas da ocorrência de situações idênticas

  • Banca: VUNESP
  • Órgão: UNIFESP
  • Cargo: Arquiteto
  • Ano: 2014
  • Nº: 45

Uma edificação de uso público existente em cidade do Estado de São Paulo será objeto de um conjunto de adequações em função da necessidade de orientação de grande número de pessoas em situações de incêndio, pânico e outras similares. No projeto de comunicação visual, dentre seus requisitos básicos, a Sinalização de Emergência

(A) não deve se destacar em relação à comunicação visual adotada para outros fins, para garantir a unidade da identidade visual do projeto.

(B) deve combinar com as cores de paredes e acabamentos, para harmonizar-se e facilitar a sua visualização.

(C) para não atrapalhar a circulação de pessoas e veículos, deve ser instalada paralelamente aos eixos de corredores de circulação.

(D) quando destinada a orientação e salvamento e equipamentos de combate a incêndio, deve ser dotada de efeito fotoluminescente.

(E) deve obrigatoriamente empregar terminologia padronizada nos idiomas português e inglês.

  • Banca: VUNESP
  • Órgão: UNIFESP
  • Cargo: Arquiteto
  • Ano: 2014
  • Nº: 46

No projeto de uma edificação, verificou-se a interferência de determinadas tubulações e dutos aparentes – de gás (GLP), incêndio e outros – com ambientes de utilização intensa. Verificou-se ainda que o projeto de comunicação visual não contemplava o tratamento a ser dado a essas tubulações. Nessas condições,

(A) pode-se criar uma comunicação visual que dê tratamento uniforme de cor às diferentes tubulações, integrando-as em um elemento compositivo único, a exemplo da solução dada por Lina Bo Bardi ao projeto do SESC Pompeia.

(B) deve-se integrar ao projeto de comunicação visual o código de cores associado às diferentes tubulações, devendo as tubulações de incêndio receber a cor vermelha, as de gás, a amarela e assim por diante.

(C) pode-se utilizaruma estética de materiais aparentes, mantendo-se as tubulações sem tratamento adicional de cor, exceção feita às instalações de incêndio, que deverão receber a cor vermelha.

(D) deve-se apenas rever o projeto das instalações de gás, que deverão ser embutidas em paredes ou correr por um shaft (duto de passagem) hermeticamente fechado.

(E) devem-se rever os projetos das instalações de gás e de combate a incêndio, que deverão correr por um shaft (duto de passagem) hermeticamente fechado.

  • Banca: VUNESP
  • Órgão: UNIFESP
  • Cargo: Arquiteto
  • Ano: 2014
  • Nº: 53

Em um projeto de comunicação visual, determinou-se que, para gerar um efeito de contraste e dar destaque a uma figura em relação ao fundo, serão desenvolvidos estudos envolvendo cores complementares nos quais a figura será de uma cor quente e o fundo será sua complementar. É possível alcançar essa combinação utilizando como cor quente e sua complementar, respectivamente,

(A) branco e preto.

(B) amarelo e azul.

(C) laranja e azul.

(D) verde e laranja.

(E) violeta e vermelho.