QUESTÕES

6
Conforto > Avaliação Pós-ocupação e Eficiência Energética
  • Banca: VUNESP
  • Órgão: TJ-PA
  • Cargo: Analista Judiciário Arquitetura
  • Ano: 2014
  • Nº: 32

O estudo de viabilidade técnico-financeira de área de apoio ao funcionamento de um tribunal deverá contemplar o desejo, expresso no programa de necessidades apresentado, de se implantar sua certificação como green building. No que diz respeito à eficiência energética, é necessário e suficiente avaliar os consumos de energia previstos

(A) ao longo do ciclo de vida da edificação.

(B) do início da operação até sua desativação.

(C) no processo de construção do edifício.

(D) no processo de produção dos insumos e de construção do edifício.

(E) no processo de produção dos insumos, da construção, da demolição e do reaproveitamento dos resíduos de demolição.

  • Banca: VUNESP
  • Órgão: CETESB
  • Cargo: Arquiteto
  • Ano: 2013
  • Nº: 24

A Portaria INMETRO N.º 372, de 17 de setembro de 2010, estabelece pesos aos sistemas individuais (Envoltória, Sistema de Iluminação, Sistema de Condicionamento de Ar) para obter a classificação geral quanto à eficiência energética de um edifício. As classificações dos sistemas individuais devem ser avaliadas, resultando em uma classificação final.

É correto afirmar que para obter a classificação geral, os pesos das avaliações parciais são distribuídos com as seguintes proporcionalidades:

(A) Envoltória = 50%; Sistema de Iluminação = 25%; Sistema de Condicionamento de Ar = 25%.

(B) Envoltória = 30%; Sistema de Iluminação = 30%; Sistema de Condicionamento de Ar = 40%.

(C) Envoltória = 25%; Sistema de Iluminação = 50%; Sistema Elétrico = 25%.

(D) Envoltória = 40%; Sistema de Iluminação = 30%; Sistema Elétrico = 30%.

(E) Envoltória = 40%; Sistema de Iluminação = 30%; Sistema de Condicionamento de Ar = 30%.

  • Banca: FCC
  • Órgão: MPE-MA
  • Cargo: Analista Ministerial Arquitetura
  • Ano: 2013
  • Nº: 39

Existe uma estreita relação entre conforto ambiental e consumo de energia que está presente

(A) na utilização dos sistemas de condicionamento ambiental artificial e na iluminação artificial. Conceber projetos de arquitetura com eficiência energética implica na utilização de sistemas mecânicos e elétricos mais eficientes e compatibilizados com a disponibilidade do potencial natural da região.

(B) no emprego de sistemas sustentáveis. Projetos de arquitetura que apresentem soluções para lidar com as condições geológicas locais (vegetação, corpos d´água e rochas afloradas), contribuem para a conservação ambiental.

(C) nos projetos arquitetônicos com adesão de estratégias passivas de climatização, o que implica em uma exposição do ambiente interno às condições ambientais externas, gerando problemas de conforto luminoso.

(D) nas técnicas de treinamento e condicionamento dos usuários do edifício para obtenção de valores ótimos no conforto ambiental (ergonômico, térmico, luminoso e acústico).

(E) no emprego de materiais, como as placas fotovoltaicas e as placas solares, que contribuem para a eficiência energética em projetos arquitetônicos que apresentem vidros, quebra-sóis, cobogós, brises, claraboias e shed´s.

  • Banca: VUNESP
  • Órgão: UNIFESP
  • Cargo: Arquiteto
  • Ano: 2014
  • Nº: 44

Uma edificação existente, com uso predominante para fins didáticos, será objeto de avaliação pós-ocupação. O projeto garantiu boas condições de climatização natural e dimensionamento adequado das instalações elétricas. Para se chegar a propostas de aumento da eficiência energética dessa edificação, recomenda-se que o levantamento de dados contemple 

(A) os hábitos de uso dos ocupantes e a as cargas térmicas produzidas internamente.

(B) o consumo de energia na produção de seus materiais e componentes e as cargas térmicas produzidas internamente.

(C) o consumo de energia na produção de seus materiais e componentes e os hábitos de uso dos ocupantes.

(D) o consumo individual dos equipamentos e os hábitos de uso dos ocupantes.

(E) o consumo individual dos equipamentos e as cargas térmicas produzidas internamente

  • Banca: FCC
  • Órgão: TRT-3
  • Cargo: Analista Judiciário Arquitetura
  • Ano: 2015
  • Nº: 45

A Avaliação Pós-Ocupação − APO é um conjunto de


(A) métodos e técnicas que visam a mensurar o desempenho de edificações em uso.
(B) análises que precisa desconsiderar o grau de satisfação dos usuários.
(C) métodos e técnicas que deve se apoiar exclusivamente em dados subjetivos.
(D) métodos que visam a mensurar o desempenho de edificações antes da finalização de sua execução.
(E) análises das condições originais de uso de um edifício sem considerar suas alterações ao longo do tempo.